Segundo filho: ter ou não ter?

Segundo filho: ter ou não ter?

A decisão de ter ou não outro filho deve ser do casal e de mais ninguém. Sentir-se preparada para dar mais este passo é tão importante quanto da primeira vez.

Cada experiência é única e nenhum filho é como o outro. Por mais que seu filho peça um irmão ou você seja cobrada, é principalmente a mulher que deve estar preparada para ter outro. Assim como da primeira vez, deve ser uma decisão baseada acima de tudo na vontade do casal e na estrutura e rotina da família.

Se você acha que a decisão de ter o segundo filho é mais difícil do que se imagina, você não está sozinha e tem todo o direito também de não querer. Você só precisa ter certeza do que realmente deseja, para mais tarde não se arrepender. Antes você só ouvia dizer, agora já sabe: “filho é pra vida toda e não dá para devolver”.

Depois de passar pela experiência de ser mãe de primeira viagem, decidir embarcar em uma nova “aventura” não é tão fácil assim. Muitas mulheres adiam ou até mesmo desistem de ter outro filho. O foco na carreira, a situação financeira e a idade são fatores que contribuem para que ocorra essa resistência.

Isto também deve-se ao fato da evolução do papel da mulher na sociedade. Além de se preocupar muito mais com o lado profissional do que as mulheres de antigamente, algumas mulheres optam por se tornarem mães cada vez mais tarde e às vezes devido a idade não arriscam em ter mais de um. Outras também contribuem com a renda familiar por isso não podem abrir mão do trabalho para se dedicar exclusivamente à maternidade.

Nos últimos anos se tornou cada vez mais comum pais que optam por ter um único filho e principalmente as famílias de classe média, com um grau maior de instrução, passaram a se conscientizar de que criar um filho não se trata de colocar só um prato a mais na mesa.

A decisão de ter o segundo filho não se torna mais fácil porque já sem tem um. Claro que aquele medo do desconhecido não existe mais, mas exatamente por vivenciar tal experiência é que já se tem uma noção real do quanto a vida muda, o quanto as despesas, o trabalho e a responsabilidade aumentam. Além do que a mulher também deve se preparar para a reação do primogênito e com a possível mudança de comportamento.

Vale lembrar que tudo vem dobrado, inclusive o amor e os momentos incríveis. Quando se quer, tudo simplifica, porque a vontade supera o obstáculo.

Ouvir seu coração, conversar com o seu parceiro e respeitar o momento e a vontade de vocês, com certeza é o melhor caminho.

 

 

Share This

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *